S. Catarina de Sena, Virgem e doutora da Igreja – Padroeira da Europa

1 João 1, 5 – 2, 2

Caríssimos: Esta é a mensagem que ouvimos de Jesus Cristo e vos anunciamos: Deus é luz e n’Ele não há trevas. Se dissermos que estamos em comunhão com Ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Mas se caminharmos na luz, como Ele vive na luz, estamos em comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus, seu Filho, purifica-nos de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda a maldade. Se dissermos que não pecamos, fazemos d’Ele um mentiroso e a sua palavra não está em nós. Meus filhos, escrevo-vos isto, para que não pequeis. Mas se alguém pecar, nós temos Jesus Cristo, o Justo, como advogado junto do Pai. Ele é a vítima de propiciação pelos nossos pecados, e não só pelos nossos, mas também pelos do mundo inteiro.

Compreender a Palavra

João escreve a partir da dicotomia luz – trevas. Deus é Luz e o que não é Deus é trevas. Quem está em Deus vive na Luz quem não está em Deus vive nas trevas. As trevas são a mentira, o pecado e o engano. A luz é a verdade, a palavra, a confissão do pecado e a comunhão. Quem vive nas trevas não está em comunhão e não reconhece os seus pecados. Quem vive em Deus, vive na luz, conhece a palavra e acolhe-a, reconhece os seus pecados e está em comunhão com Deus e com os irmãos. Tudo o que é contrário a isto é engano. A verdade liberta, por isso quem reconhece a verdade não tem medo porque encontra em Cristo um advogado.

Meditar a Palavra

Pelas palavras de João somos convidados a ir confiantes à presença de Deus. A deixar que a luz de Deus se projete em nós e revele o pecado que nos habita e a distância que, por causa desse pecado, se cavou entre nós e Deus e entre nós e os irmãos. O pecado engana e faz-nos crer que vivemos na verdade, mas a luz revela a verdade. Não queremos enganar-nos a nós mesmos, por isso, confiamos na verdade que a palavra revela em nós e reconhecemos os nossos pecados, certos de que somos perdoados no Sangue de Cristo que nos coloca de novo em comunhão com o Pai e com os irmãos.

Rezar a Palavra

Que a tua palavra, Senhor, seja a luz dos meus caminhos, para reconhecer o meu pecado e me deixar conduzir para a conversão. Ensina-me, Senhor a reconhecer o que sou para que, sem medo, me aproxime de ti e dos irmãos, à luz da misericórdia que manifestaste no sangue de Cristo derramado por todos os homens.

Compromisso

Vou confiar ao Senhor a verdade da minha vida e pedir perdão pelas trevas que ainda há em mim.


Evangelho: Mt 11, 25-30

Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».

Compreender a Palavra

É emblemática esta passagem do Evangelho. Jesus revela em oração, com palavras simples, o coração de Deus que se dá a conhecer aos pequeninos. E estas palavras servem de introdução para manifestar a sua união com o Pai de tal modo que para conhecer um é necessário conhecer o outro, mas a revelação é feita por Jesus àqueles que ele entende. O Pai revela-se aos pequeninos através de Jesus, por isso ele convida todos os que andam inclinados sobre si mesmos, curvados sob o peso da vida, para que venham e aprendam uma nova forma de viver, uma forma livre de viver.

Meditar a Palavra

Sou convidado a ser pequenino, livre e desprendido das realidades que podem tornar-se um peso na minha vida. Só tornando-me pequenino poderei conhecer a Deus e só assim poderei aprender de Jesus que é manso e humilde de coração. Estar com Jesus é aprender uma forma nova de viver que pode ser loucura aos olhos dos homens mas será sabedoria aos olhos de Deus.

Rezar a Palavra

O desprendimento das coisas deste mundo é condição essencial para te deixar entrar na minha vida. Tu dizes esta verdade de muitas maneiras no evangelho. “Não vos preocupeis com o que haveis de comer…”; “a cada dia a sua preocupação”; “acumulai tesouros no céu” “onde estiver o vosso tesouro aí estará também o vosso coração”. De muitos modos me convidas a sair de mim, a deixar o meu orgulho, a desprender-me das coisas tidas como valiosas, para te ter a ti, Senhor, como único tesouro que vale a pena procurar no campo da minha existência.

Compromisso

Vou esforçar-me por vencer o desejo das riquezas que os homens buscam incansavelmente.