Leitura I Zac 8, 20-23 
Assim fala o Senhor do Universo: Virão de novo a Jerusalém povos e habitantes de grandes cidades. Os habitantes de uma cidade irão dizer aos habitantes da outra: «Vamos implorar a benevolência do Senhor, vamos procurar o Senhor do Universo. Eu também irei». Virão muitos povos e nações poderosas procurar em Jerusalém o Senhor do Universo, implorar a benevolência do Senhor. Assim fala o Senhor do Universo: Naqueles dias, dez homens de todas as línguas faladas entre as nações agarrarão um judeu pela orla do manto, dizendo: «Queremos ir na vossa companhia, porque ouvimos dizer que Deus está convosco».

Compreender a Palavra
Zacarias proclama a universalidade da fé. Deus não é propriedade de ninguém e o Senhor do universo é esse Deus de todos os homens. Jerusalém é a cidade para todos os povos. Ali se reunirão vindos de todas as partes os que procuram o Senhor, os que querem implorar benevolência. A reunião de todos os povos faz-se a partir do povo do Senhor já reunido. Cada judeu arrastará consigo dez homens de todas as línguas.

Meditar a Palavra
Uma adesão por arrasto. Os judeus, segundo o profeta Zacarias são sinal para todos os que procuram o Senhor e imploram a sua benevolência porque eles são o povo do Senhor e é deles a cidade santa. Do mesmo modo que os judeus, a Igreja é o novo povo de Deus e realiza a mesma missão de atrair para o Senhor do universo homens de todas as línguas e nações. Os que procuram o Senhor e imploram a sua benevolência necessitam de sinais para chegar a Jerusalém, à cidade Santa, lugar onde habita o Senhor do universo. Os cristãos são esses sinais e a humanidade volta-se para eles com a esperança de ter encontrado o caminho para o encontro com o Senhor. Não podemos defraudar aqueles que procuram o Senhor.

Rezar a Palavra
No caminho para ti, Senhor, penso tantas vezes que não posso fazer mais do que implorar para mim e para toda a humanidade a tua benevolência. Mas a tua palavra diz-me que, de olhos postos em mim, muitos pensam seguir no caminho certo. Orienta os meus passos, Senhor para que não me perca no caminho nem engane quem quer chegar à tua cidade santa, ao lugar onde habitas.

Compromisso
Nos meus passos de cada dia vivo a esperança de chegar a Deus.


Evangelho: Lc 9, 51-56
Aproximando-se os dias de Jesus ser levado deste mundo, Ele tomou a decisão de Se dirigir a Jerusalém e mandou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram numa povoação de samaritanos, a fim de Lhe prepararem hospedagem. Mas aquela gente não O quis receber, porque ia a caminho de Jerusalém. Vendo isto, os discípulos Tiago e João disseram a Jesus: «Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu que os destrua?». Mas Jesus voltou-Se e repreendeu-os. E seguiram para outra povoação.

Compreender a Palavra
Estamos diante de uma referência importantíssima no evangelho de Lucas. Este é o momento em que se definem os passos seguintes. Jesus inicia um caminho que é de subida a Jerusalém. Porém esse caminho não termina naquela cidade, nem na morte que ali vai sofrer, termina no céu. O primeiro versículo dá logo essa indicação. Subir a Jerusalém é uma decisão de Jesus que, como sabemos, é resposta à vontade do Pai. O caminho começa com a recusa de Jesus pelos samaritanos. Foram preparar-lhe um lugar mas ninguém o recebeu. Não é a primeira vez que Lucas nos dá esta indicação. O mesmo aconteceu aquando do seu nascimento. Jesus é recusado porque vai para Jerusalém, a cidade onde se manifestará a salvação mas também a cidade que mata os profetas e nenhum profeta morre fora de Jerusalém. Perante a recusa os discípulos Tiago e João intervêm, convencidos de que Jesus é o Senhor que se vai manifestar em todo o seu poder em Jerusalém: “Queres que mandemos descer fogo do céu e os destrua?” Jesus volta-se para indicar outro caminho. Não basta seguir fisicamente atrás de Jesus, o discípulo tem que traçar um outro caminho dentro de si, o caminho da cruz.

Meditar a Palavra
Jesus apresenta-me um caminho novo que sou chamado a seguir. Esse caminho é uma subida que não termina na cidade dos homens mas na cidade de Deus. Ao longo do caminho sou enviado a bater de porta em porta, para que todos acolham o Mestre que segue à frente. Mas o caminho passa necessariamente pela rejeição dos homens que não entendem porque vou a subir, porque vou por este caminho e não por outro, porque me sujeito a estes vexames quando tenho tudo para ser respeitado, até tenho poder para mandar vir fogo do céu. Este caminho que passa pela morte é caminho de salvação se tiver a coragem de o percorrer todo com a mesma valentia do Mestre a quem sigo.

Rezar a Palavra
Atrás de ti vou colocando os meus pés em passos indecisos de quem preferia ver cair fogo do céu sobre os inimigos, os indiferentes e os que recusam dar-te guarida. Sigo, nem sempre com o coração, mas com meus passos, incansavelmente. Decidido que estou a ir contigo, não te perco no horizonte da minha vida, mas perco-te tantas vezes na vontade, no amor, na fidelidade. Ensina-me o caminho interior que conduz ao céu e mostra-te a meus olhos como Senhor, para que se torne mais fácil a subida.

Compromisso
Quero conhecer cada dia melhor este caminho que é o evangelho.