1 Tessalonicenses 3, 7-13

A vossa fé, irmãos, foi para nós um motivo de conforto no meio de todas as nossas angústias e tribulações. Agora sentimo-nos reviver, porque estais firmes no Senhor. Como poderemos agradecer a Deus por vós, por toda a alegria que nos destes diante do nosso Deus? Noite e dia Lhe dirigimos as mais instantes súplicas, para que nos permita tornar a ver- vos e completar o que ainda falta à vossa fé. Deus, nosso Pai, e Jesus, nosso Senhor, dirijam o nosso caminho para junto de vós. O Senhor vos faça crescer e abundar na caridade uns para com os outros e para com todos, assim como nós a temos tido para convosco. O Senhor confirme os vossos corações numa santidade irrepreensível, diante de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de Jesus, nosso Senhor, com todos os seus santos.

Compreender a Palavra
Paulo escreve aos Tessalonicenses a partir do testemunho que lhe foi transmitido por Timóteo. O anúncio da palavra feito por Paulo àquela comunidade está a dar frutos. Os tessalonicenses vivem a fé e estão firmes no Senhor, o que é motivo de conforto para Paulo. O crescimento na fé de qualquer cristão é motivo de alegria para os outros e Paulo sente essa alegria porque isso significa que Deus está a agir. Nasce em Paulo um desejo grande de voltar a passar por aquela comunidade para experimentar e crescer com a fé daqueles irmãos. Por fim Paulo exorta-os à caridade e pede a Deus que os confirme na santidade.

Meditar a Palavra
A alegria pelos passos que os outros dão na fé é uma alegria que vem de Deus. É o Senhor e não nós, quem faz crescer a semente deixada pelo anúncio da palavra. Sempre que os irmãos se afirmam na fé e enraízam a sua vida no Senhor, crescem na caridade e vivem a santidade, todos devemos encher-nos de alegria e aprender deles, completando em nós o que ainda falta de adesão àquele que se entregou por nós. A fé, a santidade e a caridade são motivos para nos aproximarmos uns dos outros e rezarmos uns pelos outros, construindo, assim, a comunidade dos crentes

Rezar a Palavra
Uma multidão de homens e mulheres fazem, hoje, a experiência da fé com verdade, entrega e dedicação. Em muitas comunidades cristãs espalhadas pelo mundo há homens e mulheres que se dão em caridade aos irmãos. Os gestos de amor fraterno e de preocupação pelos outros multiplicam-se no silêncio. Esses gestos brotam da fé na tua palavra e são manifestação da tua bondade para connosco. Dá-nos a capacidade de ver o coração dos nossos irmãos porque aí podemos contemplar a tua presença.

Compromisso
Hoje preciso valorizar a fé dos meus irmãos e reconhecer os seus gestos de caridade.

Evangelho: Mt 24, 42-51

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Vigiai, porque não sabeis em que dia virá o vosso Senhor. Compreendei isto: se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, estaria vigilante e não deixaria arrombar a sua casa. Por isso, estai vós também preparados, porque na hora em que menos pensais, virá o Filho do homem. Quem é o servo fiel e prudente, que o senhor pôs à frente da sua casa, para lhe dar o alimento em tempo oportuno? Feliz aquele servo que o senhor, ao chegar, encontrar procedendo assim. Em verdade vos digo que lhe confiará a administração de todos os seus bens. Mas se o servo for mau e disser consigo: ‘O meu senhor demora-se’, e começar a espancar os companheiros e a comer e beber com os ébrios, quando o senhor daquele servo chegar, em dia que ele não espera e à hora que ele não pensa, expulsá-lo-á e lhe dará a sorte dos hipócritas. Aí haverá choro e ranger de dentes».

Compreender a Palavra
Jesus apresenta muitas advertências sobre a necessidade de estar vigilantes, atentos, preparados, porque não sabemos o dia nem a hora. Este tema é recorrente. No texto de hoje, fala-se dos que estão à frente da sua casa, os responsáveis pelas comunidades, mas pode aplicar-se à vida de cada um. Podemos exercer as nossas funções e viver a nossa vida como homens prudentes que sabem da responsabilidade de prestar contas ao Senhor ou viver como insensatos que se julgam donos de tudo esquecendo que o Senhor vem. A sorte dos sensatos é a felicidade: “Feliz o servo que o Senhor encontrar procedendo assim”. A sorte dos insensatos é a dos hipócritas: “expulsá-lo-á”.

Meditar a Palavra
Sinto o grito do Senhor que me chama a viver a responsabilidade diante da vida. O Senhor virá e eu serei chamado a prestar-lhe contas de tudo o que me confiou. Não posso deixar-me dormir e muito menos ultrapassar os limites da sensatez vivendo como senhor de mim mesmo e dos meus irmãos, devassando os bens do Senhor depositados nas minhas mãos para o bem de todos. O aviso do Senhor é sério e está em causa o meu lugar junto dele. Preciso de estar atento e vigilante para não me deixar vencer pelo mal que me faz cair na insensatez.

Rezar a Palavra
Senhor Jesus faz-me ouvir o teu grito de alerta para que a minha vida não caia na hipocrisia nem me desleixe nos meus compromissos para contigo e para com os irmãos. Mostra-me o caminho da felicidade que brota da fidelidade à missão que me confiaste. Ensina-me a agir com verdade e justiça para que todos recebam os dons que lhes ofereces através do meu trabalho.

Compromisso
Quero viver do trabalho digno das minhas mãos e assistir os meus irmãos nas suas dificuldades.