Terça-feira da Semana II do Tempo Pascal

Actos dos Apóstolos 4, 32-37 A multidão dos haviam abraçado a fé tinha um só coração e uma só alma; ninguém considerava seu o que lhe pertencia, mas tudo entre eles era comum. Os Apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus com grande poder e gozavam todos de muita simpatia. Não havia entre eles qualquer necessitado, porque todos os que possuíam terras ou casas vendiam-nas e traziam o produto das vendas, que depunham aos pés dos Apóstolos, e distribuía-se então a cada um conforme a sua necessidade. José, um levita natural de Chipre, a quem os Apóstolos chamaram Barnabé – que quer dizer «Filho da Consolação» – possuía um campo. Vendeu-o e trouxe o dinheiro, que depositou aos pés dos Apóstolos. Compreender a Palavra O anúncio da ressurreição do Senhor é feito através da pregação dos apóstolos, mas também da comunhão entre aqueles que abraçam a fé, comunhão bem patente nas palavras dos Atos dos Apóstolos “tinham um só coração e uma só alma”. A vida nova que brota da ressurreição manifesta-se ainda na partilha de bens: “ninguém considerava seu o que lhe pertencia, mas tudo entre eles era comum”. Aos pés dos apóstolos tudo mudava de nome, passava de “meu” a “nossos”. São portanto três manifestações da ressurreição, o anúncio, a unidade e a partilha. Meditar a Palavra A vida cristã, anúncio da ressurreição do Senhor, é...

Read More