Domingo II da Páscoa ou da Divina Misericórdia

Mistagogia da Palavra A celebração da Páscoa continua durante o Tempo Pascal. Os cinquenta dias que se prolongam desde o domingo da Ressurreição até ao domingo do Pentecostes celebram-se na alegria e exultação, como um único dia de festa, melhor, como “um grande domingo”. Jesus ressuscitou no “primeiro dia da semana”. Nesse mesmo dia e oito dias mais tarde, Ele apresentou-Se aos seus discípulos, reunidos, e mostrou-lhes os sinais gloriosos e transmitiu-lhes, com o seu Espírito, os dons pascais, compendiados na paz e na reconciliação. Por isso, bem depressa esse dia foi considerado pelos discípulos o “Dia do Senhor”. Bem depressa o sábado foi substituído por este dia, em que começou a nova criação, se estabeleceu a nova aliança e se realizou a Páscoa definitiva. Dia do Senhor por excelência, o domingo é, portanto, o dia em que a comunidade dos crentes se reúne em volta de Cristo ressuscitado, misteriosamente presente nos sinais da assembleia, da palavra, do sacerdote, do pão e do vinho. Esse encontro semanal com Cristo ressuscitado realiza-se de modo especial na Eucaristia, “memorial da morte do Senhor”. A 1ª leitura é dos Actos dos Apóstolos. É o terceiro dos três sumários sobre a comunidade cristã de Jerusalém. Lucas dá relevo aos traços próprios da comunidade cristã, que aparece como sinal da nova humanidade nascida da Ressurreição. O ideal proposto mantém o seu valor de desafio...

Read More