Domingo V do Tempo Comum

Mistagogia da Palavra A enfermidade e o sofrimento encarnam a fraqueza e a fragilidade humanas, sujeitas à eventualidade do inesperado e do imprevisto. Mas as curas realizadas por Cristo são o sinal de que o Reino de Deus está no meio de nós. São um momento da salvação trazida por Cristo; significam a cura radical que toda a criação alcança em Cristo. A libertação da doença, que a ciência realiza, assume uma significação particular no contexto do símbolo da libertação radical. Debelar uma enfermidade, eliminar uma praga social é simbolo-sacramento da libertação para a qual o Pai conduz a humanidade. A 1ª leitura é do Livro de Job. Job sofre horrivelmente. Para ele a vida é apenas desgraças e dor. E não vê esperança de mudança. Então não sofre em silêncio, mas desabafa toda a sua dor diante do Senhor. A oração de Job é feita de gritos e de lágrimas: “Recordai-vos”, Senhor! Quem grita e chora, mesmo que o não saiba, está a invocar a Deus. A 2ª leitura é da Primeira Epístola de S. Paulo aos Coríntios. Paulo prega o Evangelho por um dever de consciência, pois foi essa a missão que recebeu. E como recompensa nada mais quer para além da alegria que nasce do doar-se total e gratuitamente aos irmãos. E com esta disponibilidade ele pode ser “tudo para todos”. O Evangelho é segundo S....

Read More