Domingo da Epifania do Senhor

Mistagogia da Palavra A solenidade da Epifania (palavra grega que significa “manifestação”, aparição) é o complemento do Natal. A Epifania celebra a manifestação do Senhor como Deus e Rei universal, ao mesmo tempo que exalta a glória divina e a contempla brilhando no rosto da Igreja, sua Esposa, a nova Jerusalém, depositária dos tesouros imensos da graça. oferecidos a todos os povos, à semelhança do que aconteceu com o povo judeu. Deste modo, a Epifania revela: a) O aspecto glorioso e divino do mistério natalício; b) o carácter “universal” da mensagem evangélica; c) a missão da Igreja no nosso tempo, que consiste em ser uma “Manifestação” autêntica de Cristo. A 1ª leitura é do Livro do profeta Isaías. Como uma cidade construída sobre um monte atrai o olhar de todos, ao ser iluminada pelo sol nascente, assim Jerusalém, iluminada pelo nascimento de Jesus, atrai a si todos os povos, mergulhados na noite do pecado. Será, porém, na Igreja, a nova Jerusalém, que Deus reunirá todos os homens, para lhes dar a salvação. A 2º leitura é de S. Paulo, aos Efésios. O Apóstolo, descrevendo o plano salvífico de Deus, proclama que todos os homens são chamados igualmente a ser herdeiros da Promessa. Todos são chamados a formar o verdadeiro Israel e a constituir um só corpo – o Corpo Místico de Cristo – restabelecendo-se assim o plano primitivo de...

Read More