Quarta-feira da Semana XXXI do Tempo Comum

Romanos 13, 8-10 Irmãos: Não devais a ninguém coisa alguma, a não ser o amor de uns para com os outros, pois, quem ama o próximo cumpre a lei. De facto, os mandamentos que dizem: «Não cometerás adultério, não matarás, não furtarás, não cobiçarás», e todos os outros mandamentos, resumem-se nestas palavras: «Amarás ao próximo como a ti mesmo». A caridade não faz mal ao próximo. A caridade é o pleno cumprimento da lei. Compreender a Palavra O amor é a plenitude de lei. Não há lei que possa designar-se natural ou divina que não tenha na sua génese e na sua construção o amor. Deixaria de ser divina se não fosse assim. Paulo reforça a ideia do amor como plenitude da lei e convida os cristãos a sentir sempre que não amaram o suficiente “não devais nada… a não ser o amor”. Amar é cumprir a lei, toda a lei, a lei de Moisés, os mandamentos, em todas as circunstâncias da vida e tem o bem do outro como principal objetivo. Meditar a Palavra O amor é o resumo de tudo o que o nosso coração guarda como desejo de plenitude. Sem amor tudo fica vazio e inútil, desinteressante e pobre. O amor traz em si a realização, o cumprimento, a totalidade do ser. Este amor, e não há outro, não pode confundir-se com interesse próprio, com qualquer...

Read More