Sexta-feira da Semana X do Tempo Comum

2 Coríntios 4, 7-15
Irmãos, nós trazemos em vasos de barro o tesouro do nosso ministério, para que se veja que este extraordinário poder é de Deus e não é nosso. Em tudo somos atribulados, mas não esmagados; confundidos, mas não desesperados; perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não aniquilados. Trazemos sempre no nosso corpo a morte de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifesta no nosso corpo. Estando ainda vivos, estamos continuamente expostos à morte por causa de Jesus, para que a vida de Jesus seja manifesta também na nossa carne mortal. Assim, em nós opera a morte, e em vós a vida. Animados do mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: Acreditei e por isso falei, também nós acreditamos e por isso falamos, sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus, também nos há de ressuscitar com Jesus, e nos fará comparecer diante dele junto de vós. E tudo isto faço por vós, para que a graça, multiplicando-se na comunidade, faça aumentar a ação de graças, para a glória de Deus.

Compreender a Palavra
Esta passagem da segunda carta de Paulo aos Coríntios é, só por si, uma reflexão que dispensa comentários. Paulo vê-se portador de um ministério que, por ser de Deus, se manifesta na pequenez do homem e dispensa os artifícios e as vaidades humanas, atua na pobreza e na simplicidade. É por isso que os portadores deste ministério da vida nova de Cristo ressuscitado, estão continuamente expostos à morte mas neles se revela a vida. São atribulados, confundidos, perseguidos, abatidos, mostram os sinais da morte de Jesus, mas neles reina a vida daquele que tendo ressuscitado Jesus tem poder para ressuscitar com Jesus aqueles que acreditam.

Meditar a Palavra
Traduzir esta página na experiência pessoal da fé implica um grande despojamento de nós mesmos, uma confiança absoluta em Cristo e uma certeza da fé inabalável. Perante os sinais que causam sofrimento, revelam abandono, produzem o desespero, a aniquilação, cristão vive a certeza da vida e a vitória do ressuscitado. Nada nos pode aniquilar porque não fomos abandonados, nem confundidos, nem esmagados, fomos salvos pela vida que se manifesta em nós apesar dos sinais de morte que transportamos em nosso corpo. A certeza de Jesus é a nossa certeza diante da morte.

Rezar a Palavra
Senhor Jesus, tu conheces cada um de nós e sabes que somos fragilidade na nossa condição humana. Transportamos em nós a grandeza e a pequenez, a vida e a morte, a fragilidade e a força. Que também nós possamos dizer como Paulo, Acreditei e por isso falei e possamos nós também tudo fazer para a glória de Deus.

Compromisso
Há demasiados sinais do amor de Deus na vida das pessoas. Vou estar atento às manifestações do poder de Deus nos irmãos.