Quarta-feira da Semana VI do Tempo Pascal

Actos 17, 15.22 — 18, 1 
Naqueles dias, os que acompanhavam Paulo levaram-no a Atenas e voltaram em seguida, encarregados de transmitirem a Silas e a Timóteo a ordem de irem ter com Paulo o mais depressa possível. Um dia, Paulo, de pé no meio do Areópago, disse: «Atenienses, vejo que sois em tudo extremamente religiosos. Na verdade, quando eu andava percorrendo a vossa cidade e observando os vossos monumentos sagrados, encontrei até um altar com a inscrição: ‘Ao Deus desconhecido’. Pois bem: Aquele que venerais sem O conhecer, é esse que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe é o Senhor do céu e da terra. Não habita em templos feitos por mãos humanas, nem é servido pelas mãos dos homens, como se tivesse necessidade de alguma coisa. É Ele que a todos dá a vida, a respiração e tudo o mais. Criou de um só homem todo o género humano, para habitar sobre a superfície da terra, e fixou períodos determinados e os limites da sua habitação, para que os homens procurassem a Deus e se esforçassem realmente para O atingir e encontrar. Na verdade, Ele não está longe de cada um de nós. É n’Ele que vivemos, nos movemos e existimos, como disseram alguns dos vossos poetas: ‘Somos da raça de Deus’. Se nós somos da raça de Deus, não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra, trabalhados pela arte e engenho do homem. Sem olhar a estes tempos de ignorância, Deus fez saber agora aos homens que todos e em toda a parte se devem arrepender; pois Ele fixou um dia em que há-de julgar o universo com justiça por meio de um homem que escolheu, e deu a todos motivo de crédito, ressuscitando-O de entre os mortos». Ao ouvirem falar da ressurreição dos mortos, alguns zombavam, mas outros disseram: «Havemos de te ouvir falar disto ainda outra vez». Foi assim que Paulo saiu do meio deles. No entanto, alguns homens juntaram-se a Paulo e abraçaram a fé: entre eles, Dionísio, o Areopagita, e também uma mulher chamada Dâmaris, e outros com eles. Depois disto, Paulo saiu de Atenas e foi para Corinto.

Compreender a Palavra

Paulo esforça-se por anunciar aos atenienses o mistério de Cristo, evangelho da salvação. A cultura adquirida nos seus estudos em Tarso, são agora um útil instrumento para falar no meio do areópago. E, com a coragem que lhe é própria anuncia destemidamente dizendo “aquele que venerais sem o conhecer, é esse que eu vos anuncio”. Deus tudo faz para que o homem se encontre com ele, diz Paulo, “para que os homens procurassem Deus e se esforçassem realmente para o atingir e encontrar”. Afinal “Deus não está longe”. Deus não é nem pode ser feito pelas mãos dos homens nem é semelhante ao ouro ou à prata. A ignorância leva o homem a fabricar ídolos e a adorá-los como a Deus, por isso se devem arrepender. Enquanto Paulo fala cresce o interesse do auditório pelas suas palavras, mas há palavras que caem mal nos ouvidos daqueles ouvintes. A ressurreição é um assunto que os incomoda e por isso oferecem resistência. Paulo vê o seu trabalho fracassado, mas ainda conseguiu a adesão de uns quantos.

Meditar a Palavra

Hoje, os homens vivem de novo na ignorância no que se refere à fé. Fabricam deuses à sua medida ou à medida das suas necessidades e atribuem-lhe características do cristianismo. Por isso muitos se dizem cristãos mesmo vivendo longe de Cristo, do evangelho e da Páscoa do Senhor. É necessário, de novo, anunciar com coragem e determinação esse Deus desconhecido de quem muitos falam mas que poucos conhecem. É necessário reconhecer de novo quem é Deus e o que não é nem pode ser Deus para o homem. É necessário abrir caminhos de busca de Deus porque ele se pode encontrar, não está longe. E é urgente redescobrir a esperança na vida eterna de que a ressurreição de Jesus é a certeza.

Rezar a Palavra

Senhor, mostra-me o teu rosto para que saiba distinguir-te no meio dos ídolos da minha vida e do mundo em que vivo. Mostra-me o teu rosto para que os meus passos se dirijam confiantes para ti. Revela-te como o Deus que dá a vida em abundância para que não me contente com dias fáceis, agradáveis e serenos, mas desejo com todo o coração a vida eterna que me ofereces do alto da tua cruz.

Compromisso

Vou procurar a Deus que me procura porque é possível encontra-lo na vida.


EVANGELHO Jo 16, 12-15

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Tenho ainda muitas coisas para vos dizer, mas não as podeis compreender agora. Quando vier o Espírito da verdade, Ele vos guiará para a verdade plena; porque não falará de Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há-de vir. Ele Me glorificará, porque receberá do que é meu e vos há-de anunciá-lo. Tudo o que o Pai tem é meu. Por isso vos disse que Ele receberá do que é meu e vos há-de anunciá-lo».

Compreender a Palavra

Estamos sob a promessa de um novo ator no grupo dos discípulos de Jesus, o Espírito Santo. Estamos entre dois mundos, o dos discípulos que não conseguem entender e o de Jesus que já vê outra realidade. Estamos perante a verdade que Jesus comunicou e a mesma verdade que será revelada pelo Espírito àqueles que ainda não conseguem entender. Fala-se de uma verdade que não é deste mundo e, por isso, os que ainda vivem os critérios deste mundo têm dificuldade em entender. Esta verdade é a revelação da intimidade de Deus que só o Espírito conhece e só Ele pode revelar. É algo que não se conhece agora, mas no futuro, quando vier o Espírito, porque só Ele nos pode guiar para a verdade.

Meditar a Palavra

Ainda não consigo entender as palavras de Jesus, porque estou demasiado mundanizado. As minhas preocupações ainda estão ao nível das necessidades básicas e na busca do bem-estar pessoal e familiar. Não me é fácil experimentar a preocupação pela verdade, pelas coisas do Espírito, pelo que me é oferecido para a minha vida espiritual. Os meus olhos ainda não se abriram para Jesus e o meu coração está longe de se render ao Espírito. Preciso fazer ainda muita dieta espiritual para começar a desejar a verdade como alimento e a alegria como experiência do encontro eterno com Deus.

Rezar a Palavra

Guia-me, Senhor, com o teu Espírito. Guia-me pelo caminho da verdade e faz que me apaixone pelo conhecimento da tua intimidade como lugar da revelação do mistério do meu próprio ser. Que eu me encontre em ti e em ti me reconheça amado e te encontre em mim e aí te ame no Espírito que em mim depositaste.

Compromisso

Quero vencer o mundo que há em mim para seguir a caminho da verdade revelada pelo Espírito.