Messias quer dizer Cristo

Jesus de Nazaré é "o Cristo". "Cristo" não é um nome, como acontece com "Jesus". "Messias" também não é um nome de Jesus. "Cristo" é a tradução em grego do adjetivo aramaico "Messias". Nos evangelhos identifica-se Jesus com o Cristo ou o Messias. No evangelho de João 1, 41 André vai ter com o seu irmão Simão e diz-lhe: "Encontrámos o Messias" e acrescenta "que quer dizer Cristo".

 

Dizer "Messias" ou "Cristo" é o mesmo que dizer "aquele que foi ungido" aquele que recebeu a "unção".

 

O Antigo Testamento mostra-nos que, em muitas situações, se usava o rito da unção com óleo, rito através do qual Deus consagrava um profeta, um sacerdote ou um rei. A unção tornou-se um sinal sensível e eficaz (um sacramento) que comunica o dom de Deus, o Espírito Santo, com a finalidade de confiar uma missão ao serviço de Deus e dos homens.

 

Este rito teve grande importância na vida do rei David, o grande rei de Israel e a quem foi feita a promessa de um descendente que seria o Messias, o ungido, para um reinado eterno e universal.

 

A partir de David a história do povo de Israel está marcada por esta promessa de um descendente especial. A quem se dá a condição de Messias. Os profetas recordam muitas vezes esta promessa e afirmam que Deus não se esquece mas cumpre sempre as suas promessas. O povo, perante as circunstâncias adversas da história desanimava facilmente e desacreditava-se desta promessa. Mas os profetas não desanimam.

 

O profeta Isaías apresenta as características que há de ter este Messias: será cheio do Espírito de Deus, virá anunciar a libertação dos exilados e dos prisioneiros, a consolar, e curar, a proclamar um ano da graça do Senhor. Mas também não esconde que este, Messias, será um homem de dores, sobre ele cairá o sofrimento.

 

Os evangelhos mostram que aquele de quem falavam os profetas é Jesus, o Cristo.