O Filho revela o Pai

Quando olhamos para Jesus Cristo, Filho de Deus, Deus entre nós, verificamos que as descobertas dos filósofos estão fora da objetiva de Deus.

- Os filósofos dizem: "Deus é um puro espírito, invisível". Jesus diz: "Tocai-me e entendei que um espírito não tem carne nem ossos, como estais a ver que eu tenho" (Lc 24,39).

 

- Os filósofos dizem: "Deus é todopoderoso". Diz o evangelho sobre Jesus: "foi preso, atado e conduzido" (Jo 18,12-13).

- Dizem os filósofos: "Deus é imutável e eterno". Dizem os evangelhos que Deus é anunciado, esperado; nasce, vive, morre, ressuscita e sobe ao céu; voltará… está na história connosco.

- Dizem que Deus é Criador, mas Ele é igualmente o "primogénito de toda a criatura" (Cl 1,15).

- Deus está em toda a parte. Mas Deus nasce em Belém, vai para Nazaré, entra na sinagoga de Cafarnaum, sobre a Jerusalém…

Contradições? Sim e não. Trata-se de um esclarecimento perturbador. Há uma luz nova em Jesus que mostra que Deus é bem diferente do que nós pensamos. Deus é maior do que o nosso espírito imaginava, porque a sua grandeza se desdobra numa dimensão que não esperávamos, a dimensão do amor.

 

 

Adaptação de: Rey-Mermet, A fé explicada aos jovens e adultos