Dossier ou encontro?

“Deus… Jesus Cristo”… Trata-se de Pessoas. A fé, portanto, não é uma lista de afirmações dogmáticas; ela é o encontro com Alguém; é a participação num Mistério.

 

É que um mistério não é uma porta fechada na qual se esbarra. Ao contrário, ela é uma porta aberta, uma revelação, mas para algo que nunca se chega a conhecer totalmente por causa da sua grandeza. É como se quiséssemos atravessar o mar a nado.

 

Sobre “Alguém” é possível estabelecer um estudo científico: uma ficha técnica, uma análise morfológica, bioquímica, médica, um estudo grafológico, psicológico, psicanalítico, etc… etc… Isso daria um dossier de conteúdo exato e completo.

 

No entanto, também podemos evitar tudo isso e estabelecer com “Alguém” um encontro pessoal, humano e vital… Travar conhecimento, fazer juntos um caminho, estabelecer uma amizade… Isso poderá levar a um amor, um compromisso, um casamento.

 

No primeiro caso, faz-se uma instrução religiosa, catequese, teologia mais ou menos avançada; no segundo caso, descobre-se um amor, um amor de hoje, para hoje, para a vida, para a morte e para a eternidade.

 

É o mesmo que dizer que seria inútil estabelecer um conteúdo da fé, elaborar um balanço de Deus, se o nosso esforço de fé não fosse em primeiro lugar um encontro com alguém: com Alguém presente na nossa vida, na nossa história, na nossa experiência de homens… com Alguém que responde ao incrédulo na sua inquietação, no seu tormento e na sua interrogação vital.

 

Um Deus dos filósofos e dos sábios, um Deus teórico, “ao abrigo da história humana”, um Deus fora da existência humana, um Deus supremo, distante da aventura humana, esse Deus não poderia ser o verdadeiro Deus. Ou pelo menos não nos interessaria.

 

 

Deus é “um alguém”; é esta para mim a melhor tradução do “Creio em Deus”. Isso ainda diz alguma coisa, ao passo que todas as outras palavras que pretendem “dar uma ideia de Deus” falam, na verdade, de um Deus que seria uma ideia, um não vivente, não ativo, não eficaz, numa palavra, um não alguém”.

Não se aprende alguém…

Deus quis que nós soubéssemos que ele vive, que age, que ama. Sabemos que esse Deus está connosco.

(Madeleine Delbrel)