Sexta-feira da Semana V do Tempo Comum

EVANGELHO Mc 7, 31-37
Naquele tempo, Jesus deixou de novo a região de Tiro e, passando por Sidónia, veio para o mar da Galileia, atravessando o território da Decápole. Trouxeram-Lhe então um surdo que mal podia falar e suplicaram-Lhe que impusesse as mãos sobre ele. Jesus, afastando-Se com ele da multidão, meteu-lhe os dedos nos ouvidos e com saliva tocou-lhe a língua. Depois, erguendo os olhos ao Céu, suspirou e disse-lhe: «Effathá», que quer dizer «Abre-te». Imediatamente se abriram os ouvidos do homem, soltou-se-lhe a prisão da língua e começou a falar corretamente. Jesus recomendou que não contassem nada a ninguém. Mas, quanto mais lho recomendava, tanto mais intensamente eles o apregoavam. Cheios de assombro, diziam: «Tudo o que faz é admirável: faz que os surdos oiçam e que os mudos falem».

 

 

dasdasd
Sexta-feira da Semana V do Tempo Comum
EVANGELHO Mc 7, 31-37
Naquele tempo, Jesus deixou de novo a região de Tiro e, passando por Sidónia, veio para o mar da Galileia, atravessando o território da Decápole. Trouxeram-Lhe então um surdo que mal podia falar e suplicaram-Lhe que impusesse as mãos sobre ele. Jesus, afastando-Se com ele da multidão, meteu-lhe os dedos nos ouvidos e com saliva tocou-lhe a língua. Depois, erguendo os olhos ao Céu, suspirou e disse-lhe: «Effathá», que quer dizer «Abre-te». Imediatamente se abriram os ouvidos do homem, soltou-se-lhe a prisão da língua e começou a falar corretamente. Jesus recomendou que não contassem nada a ninguém. Mas, quanto mais lho recomendava, tanto mais intensamente eles o apregoavam. Cheios de assombro, diziam: «Tudo o que faz é admirável: faz que os surdos oiçam e que os mudos falem».
 
Compreender a Palavra
Temos diante de nós uma situação especial. Um homem surdo que mal pode falar. É uma situação especial porque é um homem que pode ver Jesus e o que ele faz, mas não o pode ouvir nem pode falar com Jesus nem pedir ajuda a ninguém. Está totalmente dependente da vontade dos outros. No caso relatado, alguém se interessa pelo homem e pede ajuda a Jesus. O normal é que ao ver e ouvir Jesus o homem tenha acesso à fé que depois professa com a própria boca. Este homem, porque não pode ouvir, não tem acesso à fé e, portanto, também não pode confessar a fé com a boca. Jesus aproxima-se deste homem e tira-lhe essa impossibilidade abrindo-lhe os ouvidos e soltando-lhe a língua. O homem começa, então, a apregoar juntamente com os demais. É curioso notar os passos que estão presentes na cura deste homem. Já sabemos que é um homem que não pode comunicar com o mundo que o rodeia. Jesus pega nele e tira-o do meio daqueles que o oprimem, impedindo-o de ouvir e de falar. Toca-lhe os ouvidos e a língua, porque é ali que está o mal. Levanta os olhos ao céu porque de Deus vem todo o poder sobre a terra, pronuncia a palavra certa e aquele homem torna-se um anunciador do evangelho.
 
Meditar a Palavra
A palavra mostra-me que, tanto eu como outras pessoas, estamos muitas vezes mergulhados em circunstâncias que nos impedem de ouvir e de falar. Jesus atua na nossa vida muitas vezes graças à oração de outros que intercedem por nós. Ele atende a oração pelos que estão privados da liberdade e impossibilitados de viver. Toca-nos e atinge o mal diretamente libertando-nos. A sua palavra abre na minha vida uma nova realidade. Aquele que era surdo começou a ouvir e o que era mudo abriu a boca em louvor.
 
Rezar a Palavra
Impõe sobre mim as tuas mãos, Senhor, para que os meus ouvidos se abram à tua palavra e toca a minha língua para que saiba proclamar as maravilhas da tua salvação. Não permitas que fique surdo diante da tua voz nem deixes que o inimigo me impeça de professar com absoluta certeza que és o meu libertador.
 
Compromisso
Vou rezar por alguém que conheço e não quer ouvir nem falar de Deus.

Compreender a Palavra
Temos diante de nós uma situação especial. Um homem surdo que mal pode falar. É uma situação especial porque é um homem que pode ver Jesus e o que ele faz, mas não o pode ouvir nem pode falar com Jesus nem pedir ajuda a ninguém. Está totalmente dependente da vontade dos outros. No caso relatado, alguém se interessa pelo homem e pede ajuda a Jesus. O normal é que ao ver e ouvir Jesus o homem tenha acesso à fé que depois professa com a própria boca. Este homem, porque não pode ouvir, não tem acesso à fé e, portanto, também não pode confessar a fé com a boca. Jesus aproxima-se deste homem e tira-lhe essa impossibilidade abrindo-lhe os ouvidos e soltando-lhe a língua. O homem começa, então, a apregoar juntamente com os demais. É curioso notar os passos que estão presentes na cura deste homem. Já sabemos que é um homem que não pode comunicar com o mundo que o rodeia. Jesus pega nele e tira-o do meio daqueles que o oprimem, impedindo-o de ouvir e de falar. Toca-lhe os ouvidos e a língua, porque é ali que está o mal. Levanta os olhos ao céu porque de Deus vem todo o poder sobre a terra, pronuncia a palavra certa e aquele homem torna-se um anunciador do evangelho.
 
Meditar a Palavra
A palavra mostra-me que, tanto eu como outras pessoas, estamos muitas vezes mergulhados em circunstâncias que nos impedem de ouvir e de falar. Jesus atua na nossa vida muitas vezes graças à oração de outros que intercedem por nós. Ele atende a oração pelos que estão privados da liberdade e impossibilitados de viver. Toca-nos e atinge o mal diretamente libertando-nos. A sua palavra abre na minha vida uma nova realidade. Aquele que era surdo começou a ouvir e o que era mudo abriu a boca em louvor.
 
Rezar a Palavra
Impõe sobre mim as tuas mãos, Senhor, para que os meus ouvidos se abram à tua palavra e toca a minha língua para que saiba proclamar as maravilhas da tua salvação. Não permitas que fique surdo diante da tua voz nem deixes que o inimigo me impeça de professar com absoluta certeza que és o meu libertador.
 
Compromisso
Vou rezar por alguém que conheço e não quer ouvir nem falar de Deus.