Quinta-feira da Semana V do Tempo Comum

EVANGELHO Mc 7, 24-30
Naquele tempo, Jesus dirigiu-Se para a região de Tiro e Sidónia. Entrou numa casa e não queria que ninguém o soubesse. Mas não pôde passar despercebido, pois logo uma mulher, cuja filha tinha um espírito impuro, ao ouvir falar d’Ele, veio prostrar-se a seus pés. A mulher era pagã, siro-fenícia de nascimento, e pediu-Lhe que expulsasse o demónio de sua filha. Mas Jesus respondeu-lhe: «Deixa primeiro que os filhos estejam saciados, pois não está certo tirar o pão dos filhos para o lançar aos cachorrinhos». Ela, porém, disse: «Senhor, também é verdade que os cachorrinhos comem debaixo da mesa as migalhas das crianças». Então Jesus respondeu-lhe: «Dizes muito bem. Podes voltar para casa, porque o demónio já saiu da tua filha». Ela voltou para casa e encontrou a criança deitada na cama. O demónio tinha saído.

 

 

Compreender a Palavra
Jesus vai a uma região pagã depois de ter manifestado o seu desacordo com os fariseus que não querem deixar o legalista como forma de pensar. Aqui, em terreno pagão (não judeu) encontra uma mulher que se torna modelo de fé e de adesão a Jesus. Este texto é, claramente, uma catequese de Marcos para os não judeus. Esta mulher recebe de Jesus a atenção que necessita para ser atendida no seu pedido. Mostra, simultaneamente, grande perseverança e convicção diante dele. No final, é atendida por Jesus, que elogia a sua fé.
 
Meditar a Palavra
Esta palavra convida-me a abrir o coração para a proposta de Jesus. A sua palavra é boa notícia para todos os homens, e eu não posso ficar fechado na minha maneira de pensar. O convite de Jesus implica a minha adesão total a Ele e à sua palavra. Também me desafia a abrir o coração para os outros reconhecendo que a palavra de Jesus não é só para mim e também os que manifestam não crer podem chegar a Jesus se fizerem um encontro com Ele através da palavra e da minha presença nas suas vidas.
 
Rezar a Palavra
Preciso de valentia, Senhor, para aceitar mudar tantas ideias que me impedem de viver abertamente a proposta de uma vida totalmente cristã. Ensina-me a dar tempo à minha transformação pessoal. Fala ao meu coração indiferente para que me interesse pelos que não creem, a fim de lhe anunciar a tua palavra fonte de salvação para todos os homens.
 
Compromisso
Esta meditação da palavra vou enviá-la a uma pessoa que não tem fé e vou comentá-la com um colega de trabalho ou um amigo.