Quarta-feira da Semana IV do Tempo Comum

EVANGELHO Mc 6, 1-6
Naquele tempo, Jesus dirigiu-Se à sua terra e os discípulos acompanharam-n’O. Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Os numerosos ouvintes estavam admirados e diziam: «De onde Lhe vem tudo isto? Que sabedoria é esta que Lhe foi dada e os prodigiosos milagres feitos por suas mãos? Não é Ele o carpinteiro, Filho de Maria, e irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? E não estão as suas irmãs aqui entre nós?». E ficavam perplexos a seu respeito. Jesus disse-lhes: «Um profeta só é desprezado na sua terra, entre os seus parentes e em sua casa». E não podia ali fazer qualquer milagre; apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. Estava admirado com a falta de fé daquela gente. E percorria as aldeias dos arredores, ensinando.

 

 

adasdasd
Quarta-feira da Semana IV do Tempo Comum
EVANGELHO Mc 6, 1-6
Naquele tempo, Jesus dirigiu-Se à sua terra e os discípulos acompanharam-n’O. Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Os numerosos ouvintes estavam admirados e diziam: «De onde Lhe vem tudo isto? Que sabedoria é esta que Lhe foi dada e os prodigiosos milagres feitos por suas mãos? Não é Ele o carpinteiro, Filho de Maria, e irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? E não estão as suas irmãs aqui entre nós?». E ficavam perplexos a seu respeito. Jesus disse-lhes: «Um profeta só é desprezado na sua terra, entre os seus parentes e em sua casa». E não podia ali fazer qualquer milagre; apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. Estava admirado com a falta de fé daquela gente. E percorria as aldeias dos arredores, ensinando.
 
Compreender a Palavra
Jesus vai à sinagoga da sua terra e começa a ensinar. Tudo parece estar a correr bem quando de repente surge a questão das relações familiares de Jesus e da origem do poder que ele revela nos milagres que realiza e nas palavras que ensina. Jesus começa, então, a ser rejeitado como aconteceu anteriormente entre os fariseus e em território de gerasenos. A pequenez humana fala mais alto e Jesus não pode ali realizar qualquer milagre por causa da falta de fé. É interessante verificar que o início do texto parece querer dizer que as pessoas vão aceitar as suas palavras porque estão admiradas com a sua sabedoria mas, preferem o caminho da suspeita que põe em causa o outro em vez de o escutar. Duvidam porque ele não estudou, duvidam da origem da sua sabedoria por causa da sua família e duvidam do seu poder de fazer milagres. Estabelecem-se, assim, dois grupos: Jesus e os discípulos de um lado acreditando que vale a pena anunciar ali naquela terra e os habitantes que não se deixam ensinar por aquele a quem conhecem desde pequeno. 
 
Meditar a Palavra
Esta passagem do evangelho mostra-me como é difícil falar de Deus dentro da família e junto daqueles que conheço bem. É mais fácil falar a desconhecidos porque não têm tantas reservas como os que me acompanham diariamente. Corro o risco de me calar e contribuir com o meu silêncio para que os mais próximos nunca cheguem a fazer uma experiência de fé. Por outro lado, também corro o risco de não aceitar a palavra de Jesus anunciada por aqueles que conheço e me estão próximos só porque a parte humana não me deixa ver Deus que fala através do meu irmão. É necessário vencer a parte humana para que Deus se revele na minha vida, também através das pessoas da minha família e daqueles que me são próximos.
 
Rezar a Palavra
Não encontraste fé na tua terra, Jesus. É impressionante como todos se deixaram cegar pela aparência e puseram em causa a tua autoridade. Tenho receio, Senhor, de tomar atitude semelhante porque eu também sou a terra onde tu nasceste e cresceste. Vens a mim desde o meu batismo e nem sempre te sei acolher e escutar. Nem sempre reconheço a tua autoridade. Que o meu coração saiba discernir para te aceitar pela mesma razão que outros te rejeitam, por seres o Filho de Maria.
 
Compromisso
Não vou deixar que ao meu lado haja homens, meus irmãos e meus amigos, que vivem sem Deus porque eu não sou capaz de lho apresentar.

Compreender a Palavra
Jesus vai à sinagoga da sua terra e começa a ensinar. Tudo parece estar a correr bem quando de repente surge a questão das relações familiares de Jesus e da origem do poder que ele revela nos milagres que realiza e nas palavras que ensina. Jesus começa, então, a ser rejeitado como aconteceu anteriormente entre os fariseus e em território de gerasenos. A pequenez humana fala mais alto e Jesus não pode ali realizar qualquer milagre por causa da falta de fé. É interessante verificar que o início do texto parece querer dizer que as pessoas vão aceitar as suas palavras porque estão admiradas com a sua sabedoria mas, preferem o caminho da suspeita que põe em causa o outro em vez de o escutar. Duvidam porque ele não estudou, duvidam da origem da sua sabedoria por causa da sua família e duvidam do seu poder de fazer milagres. Estabelecem-se, assim, dois grupos: Jesus e os discípulos de um lado acreditando que vale a pena anunciar ali naquela terra e os habitantes que não se deixam ensinar por aquele a quem conhecem desde pequeno. 
 
Meditar a Palavra
Esta passagem do evangelho mostra-me como é difícil falar de Deus dentro da família e junto daqueles que conheço bem. É mais fácil falar a desconhecidos porque não têm tantas reservas como os que me acompanham diariamente. Corro o risco de me calar e contribuir com o meu silêncio para que os mais próximos nunca cheguem a fazer uma experiência de fé. Por outro lado, também corro o risco de não aceitar a palavra de Jesus anunciada por aqueles que conheço e me estão próximos só porque a parte humana não me deixa ver Deus que fala através do meu irmão. É necessário vencer a parte humana para que Deus se revele na minha vida, também através das pessoas da minha família e daqueles que me são próximos.
 
Rezar a Palavra
Não encontraste fé na tua terra, Jesus. É impressionante como todos se deixaram cegar pela aparência e puseram em causa a tua autoridade. Tenho receio, Senhor, de tomar atitude semelhante porque eu também sou a terra onde tu nasceste e cresceste. Vens a mim desde o meu batismo e nem sempre te sei acolher e escutar. Nem sempre reconheço a tua autoridade. Que o meu coração saiba discernir para te aceitar pela mesma razão que outros te rejeitam, por seres o Filho de Maria.
 
Compromisso
Não vou deixar que ao meu lado haja homens, meus irmãos e meus amigos, que vivem sem Deus porque eu não sou capaz de lho apresentar.