Terça-feira da Semana III do Tempo Comum

EVANGELHO Mc 3, 31-35 
Naquele tempo, chegaram à casa onde estava Jesus, sua Mãe e seus irmãos, que, ficando fora, O mandaram chamar. A multidão estava sentada em volta d’Ele, quando Lhe disseram: «Tua Mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura». Mas Jesus respondeu-lhes: «Quem é minha Mãe e meus irmãos?» E, olhando para aqueles que estavam à sua volta, disse: «Eis minha Mãe e meus irmãos. Quem fizer a vontade de Deus esse é meu irmão, minha irmã e minha Mãe».

 

 

asdasd
Terça-feira da Semana III do Tempo Comum
EVANGELHO Mc 3, 31-35 
Naquele tempo, chegaram à casa onde estava Jesus, sua Mãe e seus irmãos, que, ficando fora, O mandaram chamar. A multidão estava sentada em volta d’Ele, quando Lhe disseram: «Tua Mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura». Mas Jesus respondeu-lhes: «Quem é minha Mãe e meus irmãos?» E, olhando para aqueles que estavam à sua volta, disse: «Eis minha Mãe e meus irmãos. Quem fizer a vontade de Deus esse é meu irmão, minha irmã e minha Mãe».
 
Compreender a Palavra
O texto apresenta claramente dois grupos, independentemente das pessoas que os compõem. Há um grupo que está dentro de casa com Jesus e outro grupo que está fora da casa onde Jesus se encontra. Os que estão fora são a sua família. Reclamam a pertença à família, vêm “buscá-lo” para o levar porque lhes pertence. Não entram, mandam chamá-lo. “Estão lá fora à tua procura” é uma expressão que indica o movimento. Deve ser Jesus a retirar-se da casa e da companhia daquelas pessoas e regressar à família. Com um gesto e algumas palavras, Jesus expressa a sua vontade. A sua família agora são aqueles que fazem a vontade de Deus, portanto, ele não sai, mas todo o que quiser ser da sua família tem que entrar e juntar-se aos que escutam a sua palavra.
 
Meditar a Palavra
A palavra de Jesus é-me dirigida hoje a mim para me mostrar que também eu tenho que fazer uma opção. Os membros da comunidade cristã pertencem a uma nova família, a dos filhos de Deus. Mais do que os laços de sangue, o que determina a minha vida são as relações estabelecidas pela fé em Cristo. A minha família pode exigir a minha presença e reclamar os seus direitos sobre mim. Mas eu tenho uma nova família, e como Jesus, não a posso abandoná-la. Quem quiser pertencer-me tem que se unir a Jesus, escutar a sua palavra e fazer a vontade do Pai. A família é muitas vezes um impedimento para seguir Jesus, por isso, eu tenho que saber discernir da minha relação de pertença.
 
Rezar a Palavra
Senhor Jesus, o sangue chama por mim e eu sinto dificuldade em vencer este chamamento. Sei que fico aquém do que esperas de mim porque nem sempre te amo mais do que ao pai, à mãe, aos irmãos e às coisas deste mundo. Nem sempre consigo estabelecer com os meus irmãos na fé, laços fortes e duradoiros que me façam sentir que são a minha família. Preciso da tua ajuda para discernir do meu lugar na comunidade cristã e de como me relacionar com os membros da minha família que não te querem seguir.
 
Compromisso
Vou tomar consciência da minha pertença à Igreja na pertença à minha comunidade, mesmo que humanamente não seja uma comunidade atraente.

Compreender a Palavra
O texto apresenta claramente dois grupos, independentemente das pessoas que os compõem. Há um grupo que está dentro de casa com Jesus e outro grupo que está fora da casa onde Jesus se encontra. Os que estão fora são a sua família. Reclamam a pertença à família, vêm “buscá-lo” para o levar porque lhes pertence. Não entram, mandam chamá-lo. “Estão lá fora à tua procura” é uma expressão que indica o movimento. Deve ser Jesus a retirar-se da casa e da companhia daquelas pessoas e regressar à família. Com um gesto e algumas palavras, Jesus expressa a sua vontade. A sua família agora são aqueles que fazem a vontade de Deus, portanto, ele não sai, mas todo o que quiser ser da sua família tem que entrar e juntar-se aos que escutam a sua palavra.
 
Meditar a Palavra
A palavra de Jesus é-me dirigida hoje a mim para me mostrar que também eu tenho que fazer uma opção. Os membros da comunidade cristã pertencem a uma nova família, a dos filhos de Deus. Mais do que os laços de sangue, o que determina a minha vida são as relações estabelecidas pela fé em Cristo. A minha família pode exigir a minha presença e reclamar os seus direitos sobre mim. Mas eu tenho uma nova família, e como Jesus, não a posso abandoná-la. Quem quiser pertencer-me tem que se unir a Jesus, escutar a sua palavra e fazer a vontade do Pai. A família é muitas vezes um impedimento para seguir Jesus, por isso, eu tenho que saber discernir da minha relação de pertença.
 
Rezar a Palavra
Senhor Jesus, o sangue chama por mim e eu sinto dificuldade em vencer este chamamento. Sei que fico aquém do que esperas de mim porque nem sempre te amo mais do que ao pai, à mãe, aos irmãos e às coisas deste mundo. Nem sempre consigo estabelecer com os meus irmãos na fé, laços fortes e duradoiros que me façam sentir que são a minha família. Preciso da tua ajuda para discernir do meu lugar na comunidade cristã e de como me relacionar com os membros da minha família que não te querem seguir.
 
Compromisso

Vou tomar consciência da minha pertença à Igreja na pertença à minha comunidade, mesmo que humanamente não seja uma comunidade atraente.