Sexta-feira da Semana II do Tempo Comum

EVANGELHO Mc 3, 13-19 
Naquele tempo, Jesus subiu a um monte. Chamou à sua presença aqueles que entendeu e eles aproximaram-se. Escolheu doze, para andarem com Ele e para os enviar a pregar, com poder de expulsar demónios. Escolheu estes doze: Simão, a quem pôs o nome de Pedro; Tiago, filho de Zebedeu, e João, irmão de Tiago, aos quais pôs o nome de Boanerges, isto é, «Filhos do trovão»; André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago de Alfeu, Tadeu, Simão o Cananeu e Judas Iscariotes, que depois O traiu.

 

 

Compreender a Palavra
Subindo ao monte Jesus coloca-se na presença do Pai e segue as suas indicações chamando a si doze dos seus discípulos, escolhendo-os para andarem sempre com Ele, para os enviar a pregar e para expulsar demónios. Os doze distinguem-se dos demais discípulos e da multidão pela proximidade com Jesus e pela missão recebida. Os doze são os que garantem o anúncio do Reino e introduzem nele os homens de todas as nações. Este grupo não está isento de pecado, pois um deles traiu Jesus, mas transporta uma missão que deve prolongar-se até ao fim dos tempos.
 
Meditar a Palavra
Perante a Palavra percebo que o grupo dos doze não experimentou apenas a proximidade com Jesus, recebeu dele também a responsabilidade de continuar a sua missão. Foi pelo cumprimento do mandato de Jesus que a notícia do reino chegou aos meus ouvidos. Eu tive oportunidade de conhecer Jesus, de entrar na sua intimidade, de conhecer o seu projeto e de fazer parte do seu reino, porque eles aceitaram este desafio e levaram a palavra a todo o mundo. Também hoje, esse desafio é lançado a muitos homens e mulheres para que não se extinga o fogo trazido por Jesus. Faltam ouvidos que escutem o chamamento e o envio de Jesus. Não poderei eu dispor-me a escutar mais e melhor a voz de Jesus e o convite que ele me está a fazer?
 
Rezar a Palavra
Senhor, tantas vezes fico a mastigar a nostalgia de uma vida sem sabor porque não quero sair do meu canto onde me devora o comodismo. A tua palavra desafiou os doze a seguir-te mais de perto, a serem teus companheiros no anúncio do reino e na libertação dos homens que se fecham nas suas prisões. Dá-me, Senhor, coragem para ouvir a tua voz que me chama a uma entrega total, a um maior empenhamento no teu reino.
 
Compromisso
Penso na minha vida como uma vocação onde realizo o que Jesus me pede e não o que me apetece?