Quarta-feira da Semana I do Tempo Comum

EVANGELHO Mc 1, 29-39 
Naquele tempo, Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, a casa de Simão e André. A sogra de Simão estava de cama com febre e logo Lhe falaram dela. Jesus aproximou-Se, tomou-a pela mão e levantou-a. A febre deixou-a e ela começou a servi-los. Ao cair da tarde, já depois do sol-posto, trouxeram-Lhe todos os doentes e possessos e a cidade inteira ficou reunida diante da porta. Jesus curou muitas pessoas, que eram atormentadas por várias doenças, e expulsou muitos demónios. Mas não deixava que os demónios falassem, porque sabiam quem Ele era. De manhã, muito cedo, levantou-Se e saiu. Retirou-Se para um sítio ermo e aí começou a orar. Simão e os companheiros foram à procura d’Ele e, quando O encontraram, disseram-Lhe: «Todos Te procuram». Ele respondeu-lhes: «Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de pregar aí também, porque foi para isso que Eu vim». E foi por toda a Galileia, pregando nas sinagogas e expulsando os demónios.

 

 

Compreender a Palavra
O texto pede que tenhamos em conta a passagem evangélica de ontem. Jesus muda-se da sinagoga para a casa de Pedro, uma casa familiar. Com Ele muda-se também toda a cidade. A primeira cena mostra-nos a sogra de Pedro doente com febre e Jesus realizando gestos de libertação: “aproximou-Se, tomou-a pela mão e levantou-a”. Aquela que estava prostrada e incapaz de reagir levanta-se e toma uma atitude de serviço. Esta cena dá origem a uma outra mais alargada que ultrapassa as paredes da casa, sai para fora do contexto familiar. O sucedido na casa de Pedro ouviu-se em toda a cidade, de modo que todos vieram com os seus doentes. Jesus curou-os a todos. A admiração das pessoas é uma primeira adesão de fé importante mas perigosa porque se podem prender aos milagres e não àquele que realiza os milagres. Talvez por isso Jesus se retira e não permanece muito tempo no mesmo lugar.
 
Meditar a Palavra
A palavra de hoje suscita em mim um desejo grande de receber Jesus na minha casa. Também em mim há doenças que me debilitam e prostram, não me deixando servi-lo a ele e aos irmãos. Preciso que Jesus venha e me tome pela mão para me levantar. Sinto esta necessidade de Jesus em mim para calar os espíritos impuros que querem falar mais alto dentro de mim, impondo as suas regras. Muitas vezes sinto que tenho que ir à “sinagoga” ao lugar onde Jesus fala para todos, mas hoje sinto que preciso que seja Ele a entrar na minha casa para me curar da febre que não me deixa levantar a cabeça.
 
Rezar a Palavra
Aproxima-te, Senhor, toma-me pela mão e levanta-me que estou prostrado na minha incapacidade de responder aos desafios da vida. Toma-me pela mão e faz-me levantar da prostração em que me deixo cair diante das circunstâncias da vida. Toma-me pela mão e ergue-me para que possa enfrentar de cabeça erguida os espíritos impuros que não me deixam aproximar de ti para te ouvir, para te falar. Toma-me pela mão e ergue a tua voz para que aconteça paz dentro de mim e possa servir-te a toda a hora e acolher em mim os irmãos a quem queres curar dos males que os afligem.
 
Compromisso
Vou fazer um tempo de oração interior e escutar a voz de Jesus no silêncio que me cura.