Sexta-feira, 2º da Oitava do Natal - S. Estevão

EVANGELHO Mt 10, 17-22
Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Tende cuidado com os homens: hão-de entregar-vos aos tribunais e açoitar-vos nas sinagogas. Por minha causa, sereis levados à presença de governadores e reis, para dar testemunho diante deles e das nações. Quando vos entregarem, não vos preocupeis em saber como falar nem com o que dizer, porque nessa altura vos será sugerido o que deveis dizer; porque não sereis vós a falar, mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós. O irmão entregará à morte o irmão e o pai entregará o filho. Os filhos hão-de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte. E sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo».

 

 

EVANGELHO Mt 10, 17-22
Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Tende cuidado com os homens: hão-de entregar-vos aos tribunais e açoitar-vos nas sinagogas. Por minha causa, sereis levados à presença de governadores e reis, para dar testemunho diante deles e das nações. Quando vos entregarem, não vos preocupeis em saber como falar nem com o que dizer, porque nessa altura vos será sugerido o que deveis dizer; porque não sereis vós a falar, mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós. O irmão entregará à morte o irmão e o pai entregará o filho. Os filhos hão-de erguer-se contra os pais e causar-lhes a morte. E sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo».
Compreender a Palavra
Hoje celebramos S. Estêvão, primeiro mártir.
Jesus dá a conhecer aos discípulos os perigos que perseguirão os seus discípulos. Anunciar o Evangelho, colocar-se ao serviço de Jesus, ser mensageiro da salvação não é tarefa fácil nem se trata de uma vida cómoda e instalada. O discípulo corre perigos e enfrentará dificuldades provocadas pelos homens até no seio da família por causa de Jesus, por causa do seu nome. Desta forma darão testemunho com a própria vida se necessário, mas não devem preocupar-se, assiste-os o Espírito do Pai. A recompensa será a salvação para todos os que perseverarem.
Meditar a Palavra
A palavra de hoje pede-me essencialmente que não me preocupe. Não é tarefa fácil, esta. Ser discípulo de Jesus traz consigo toda a espécie de dificuldades, perseguições, mais entendidos, julgamentos e condenações. Não estar preocupado perante a adversidade que se abate contra mim não é bem a minha maneira de reagir. Ficar sereno e tranquilo como se nada estivesse a acontecer, não costuma ser a minha forma de estar na vida. Bem sei que é o Espírito quem inspira a minha defesa. Mas não se trata de me defender mas de não me preocupar. Por outro lado Jesus diz-me que tudo é por causa dele, por causa do seu nome. A minha atenção volta-se para estas afirmações e faz-me perguntar: Tenho eu capacidade para aguentar todas as adversidades que o mundo me inflige por causa de Jesus? Não será necessário um grande amor a Jesus para assumir em mim um sofrimento que não tem a ver comigo, mas com Ele? Amo eu, Jesus ao ponto de ser capaz de aceitar o sofrimento que me vem de ser seu discípulo? Hoje mesmo hei-de dar uma resposta.
Rezar a palavra
Sinto-me como ovelha no meio de lobos, Senhor. Na minha própria vida, pelas minhas incapacidades, pelas dificuldades de me assumir, de renunciar, de avançar e de viver por causa de ti, por causa do teu nome, sinto-me como ovelha no meios dos meus lobos interiores. Tu sabes, tu conheces os meus lobos, os meus impedimentos, as minhas próprias acusações e condenações. Tu conheces as partes de mim que não te aceitam e me atacam a mim por causa de ti. Tu escutas como eu as condenações à morte que gritam dentro de mim. “Crucifica-o! Crucifica-o!”. Só tu me conheces. Fala, Senhor, em mim, pelo teu Espírito, para que persevere até ao fim.
Compromisso
Vou recolher-me em oração para me fortalecer e poder vencer os meus lobos.

Compreender a Palavra
Hoje celebramos S. Estêvão, primeiro mártir.
Jesus dá a conhecer aos discípulos os perigos que perseguirão os seus discípulos. Anunciar o Evangelho, colocar-se ao serviço de Jesus, ser mensageiro da salvação não é tarefa fácil nem se trata de uma vida cómoda e instalada. O discípulo corre perigos e enfrentará dificuldades provocadas pelos homens até no seio da família por causa de Jesus, por causa do seu nome. Desta forma darão testemunho com a própria vida se necessário, mas não devem preocupar-se, assiste-os o Espírito do Pai. A recompensa será a salvação para todos os que perseverarem.


Meditar a Palavra

A palavra de hoje pede-me essencialmente que não me preocupe. Não é tarefa fácil, esta. Ser discípulo de Jesus traz consigo toda a espécie de dificuldades, perseguições, mais entendidos, julgamentos e condenações. Não estar preocupado perante a adversidade que se abate contra mim não é bem a minha maneira de reagir. Ficar sereno e tranquilo como se nada estivesse a acontecer, não costuma ser a minha forma de estar na vida. Bem sei que é o Espírito quem inspira a minha defesa. Mas não se trata de me defender mas de não me preocupar. Por outro lado Jesus diz-me que tudo é por causa dele, por causa do seu nome. A minha atenção volta-se para estas afirmações e faz-me perguntar: Tenho eu capacidade para aguentar todas as adversidades que o mundo me inflige por causa de Jesus? Não será necessário um grande amor a Jesus para assumir em mim um sofrimento que não tem a ver comigo, mas com Ele? Amo eu, Jesus ao ponto de ser capaz de aceitar o sofrimento que me vem de ser seu discípulo? Hoje mesmo hei-de dar uma resposta.


Rezar a palavra

Sinto-me como ovelha no meio de lobos, Senhor. Na minha própria vida, pelas minhas incapacidades, pelas dificuldades de me assumir, de renunciar, de avançar e de viver por causa de ti, por causa do teu nome, sinto-me como ovelha no meios dos meus lobos interiores. Tu sabes, tu conheces os meus lobos, os meus impedimentos, as minhas próprias acusações e condenações. Tu conheces as partes de mim que não te aceitam e me atacam a mim por causa de ti. Tu escutas como eu as condenações à morte que gritam dentro de mim. “Crucifica-o! Crucifica-o!”. Só tu me conheces. Fala, Senhor, em mim, pelo teu Espírito, para que persevere até ao fim.


Compromisso

Vou recolher-me em oração para me fortalecer e poder vencer os meus lobos.