Quinta-feira da Semana II do Tempo do Advento

EVANGELHO Mt 11, 11-15 
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Em verdade vos digo que, entre os nascidos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Baptista. Mas o mais pequeno no reino dos Céus é maior do que ele. Desde os dias de João Baptista até agora, o reino dos Céus sofre violência e são os violentos que se apoderam dele. Porque todos os profetas e a Lei profetizaram até João. É ele, se quiserdes compreender, o Elias que estava para vir. Quem tem ouvidos oiça». 

 

 

Compreender a Palavra
Tirado da segunda parte do evangelho de Mateus, este texto enquandra-se dentro da resposta de Jesus à pergunta de João: “És tu aquele que hà de vir ou devemos esperar outro?”. As pessoas estavam na expetativa do Messias. Veio João e agora vem Jesus, qual deles é o Messias? Quem é Jesus? Na sua resposta Jesus não só elogia João Batista, mas deixa claro que João não era o Messias, ele era o Elias que havia de vir. Agora, permanece a pergunta sobre quem é Jesus? A resposta de Jesus não é direta, é um desafio. Quem tem ouvidos para ouvir hà de tratar também de entender.
 
Meditar a Palavra
Em tempo de Advento, João Batista é uma figura central no evangelho. Ele marcou profundamente as pessoas do seu tempo. Nunca se apresentou como Messias, mas a ansiedade das pessoas, o estilo de vida de João e a profundidade das suas palavras levaram muitos a convencer-se que ele era o Messias. A incerteza das pessoas, deixada por João e mantida por Jesus, torna-se uma dificuldade para quem quer certezas imediatas. Cada um deve chegar à fé por uma decisão da vontade e uma adesão de coração. Diante de Jesus ninguém se vê obrigado a acreditar, todos são livres, porque Ele não se impõe na verdade do seu ser divino. A sua palavra e a sua vida exigem a decisão pessoal para crer e a adesão total para viver. Tendes ouvidos para ouvir? Então, tratai de entender.
 
Rezar a Palavra

Ouvir é fácil, Senhor, mas compreender as palavras que escuto e aceitar que elas têm o poder para me arrancar de mim mesmo e chegar a ser maior que João, isso é mais difícil. A renúncia à minha vontade, às minhas ideias, às minhas razões pessoais e demasiado humanas, que exige a adesão à tua pessoa e ao teu projeto de vida, parece-me difícil. Aceitar-te até chegar a pertencer-te totalmente à força de me vencer nos meus desejos e interesses é um caminho que seduz mas arrepia. Só num encontro de amor apaixonado pode tronar-se realidade. Dá-me, Senhor, a força do amor apaixonado para ser capaz de aceitar que és o Messias anunciado por João. 
 
Compromisso

Hoje impõe-se uma mudança radical no meu coração para ficar disponível para acolher Jesus.