Segunda-feira da Semana I do Tempo do Advento

EVANGELHO Mt 8, 5-11 
Naquele tempo, ao entrar Jesus em Cafarnaum, aproximou-se d’Ele um centurião, que Lhe suplicou, dizendo: «Senhor, o meu servo jaz em casa paralítico e sofre horrivelmente». Disse-lhe Jesus: «Eu irei curá-lo». Mas o centurião respondeu-Lhe: «Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa; mas diz uma só palavra e o meu servo ficará curado. Porque eu, que não passo dum subalterno, tenho soldados sob as minhas ordens: digo a um ‘Vai’ e ele vai; a outro ‘Vem’ e ele vem; e ao meu servo ‘Faz isto’ e ele faz». Ao ouvi-lo, Jesus ficou admirado e disse àqueles que O seguiam: «Em verdade vos digo: Não encontrei ninguém em Israel com tão grande fé. Por isso vos digo: Do Oriente e do Ocidente virão muitos sentar-se à mesa, com Abraão, Isaac e Jacob, no reino dos Céus».

 

 

asdasd
Segunda-feira da Semana I do Tempo do Advento
EVANGELHO Mt 8, 5-11 
Naquele tempo, ao entrar Jesus em Cafarnaum, aproximou-se d’Ele um centurião, que Lhe suplicou, dizendo: «Senhor, o meu servo jaz em casa paralítico e sofre horrivelmente». Disse-lhe Jesus: «Eu irei curá-lo». Mas o centurião respondeu-Lhe: «Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa; mas diz uma só palavra e o meu servo ficará curado. Porque eu, que não passo dum subalterno, tenho soldados sob as minhas ordens: digo a um ‘Vai’ e ele vai; a outro ‘Vem’ e ele vem; e ao meu servo ‘Faz isto’ e ele faz». Ao ouvi-lo, Jesus ficou admirado e disse àqueles que O seguiam: «Em verdade vos digo: Não encontrei ninguém em Israel com tão grande fé. Por isso vos digo: Do Oriente e do Ocidente virão muitos sentar-se à mesa, com Abraão, Isaac e Jacob, no reino dos Céus».
 
Compreender a Palavra
Iniciamos o novo Ano Litúrgico com o tempo de Advento. Intercetado por um centurião que tem um servo doente e lhe pede para o curar, Jesus, prontifica-se a ir curá-lo. A cena torna-se grandiosa quando o centurião manifesta a sua humildade diante de Jesus reconhecendo que não é digno e cresce ainda mais quando na sua humildade demonstra uma fé confiante no poder da palavra de Jesus. Jesus não só cura o servo como apresenta o centurião diante de todos como modelo de fé. Depois, Jesus, aproveita para falar do que está para vir, a salvação, que não se destina apenas a Israel mas a todos os povos.
 
Meditar a Palavra
Sou confrontado neste início de Advento com a necessidade de me abrir à ação poderosa da Palavra de Jesus e de criar em mim esta expetativa da vinda do Senhor. Como a humanidade em geral e o povo da antiga aliança em particular, também eu faço a experiência da espera de Jesus, salvador do mundo, que veio há terra por Maria, em Belém. Mas faço ainda a experiência, em união com todos os povos, da espera da última vinda do Senhor. Nesse dia, o Senhor sentará à sua mesa todos os homens. Também eu quero fazer a experiência da fé confiante do centurião para poder participar na mesa do reino dos céus.
 
Rezar a Palavra
Muitos quererão entrar e não entrarão no teu reino, Senhor, mas outros, os impensáveis, entrarão à frente de todos. Senhor, vejo-me diante de ti, na realidade da minha vida crente, na incerteza de saber se posso entrar no teu reino, porque pressinto que a minha fé não é suficiente. Creio que não possuo ainda a fé confiante e humilde do centurião. Dá-me a disponibilidade interior de aceitar que não me atendas, de confiar para além da satisfação das minhas vontades. Dá-me a consciência da espera activa para que não me deixe adormecer na fé insensata de quem se julga salvo antes de tempo. Concede-me a graça da vigilância para que aguarde o dia da tua chegada a fim de poder entrar contigo no reino e sentar-me à tua mesa com os pobres a quem amas. 
 
Compromisso
Quero fazer da minha vida um tempo de espera vigilante da última vinda do Senhor.

Compreender a Palavra
Iniciamos o novo Ano Litúrgico com o tempo de Advento. Intercetado por um centurião que tem um servo doente e lhe pede para o curar, Jesus, prontifica-se a ir curá-lo. A cena torna-se grandiosa quando o centurião manifesta a sua humildade diante de Jesus reconhecendo que não é digno e cresce ainda mais quando na sua humildade demonstra uma fé confiante no poder da palavra de Jesus. Jesus não só cura o servo como apresenta o centurião diante de todos como modelo de fé. Depois, Jesus, aproveita para falar do que está para vir, a salvação, que não se destina apenas a Israel mas a todos os povos.
 
Meditar a Palavra
Sou confrontado neste início de Advento com a necessidade de me abrir à ação poderosa da Palavra de Jesus e de criar em mim esta expetativa da vinda do Senhor. Como a humanidade em geral e o povo da antiga aliança em particular, também eu faço a experiência da espera de Jesus, salvador do mundo, que veio há terra por Maria, em Belém. Mas faço ainda a experiência, em união com todos os povos, da espera da última vinda do Senhor. Nesse dia, o Senhor sentará à sua mesa todos os homens. Também eu quero fazer a experiência da fé confiante do centurião para poder participar na mesa do reino dos céus.
 
Rezar a Palavra

Muitos quererão entrar e não entrarão no teu reino, Senhor, mas outros, os impensáveis, entrarão à frente de todos. Senhor, vejo-me diante de ti, na realidade da minha vida crente, na incerteza de saber se posso entrar no teu reino, porque pressinto que a minha fé não é suficiente. Creio que não possuo ainda a fé confiante e humilde do centurião. Dá-me a disponibilidade interior de aceitar que não me atendas, de confiar para além da satisfação das minhas vontades. Dá-me a consciência da espera activa para que não me deixe adormecer na fé insensata de quem se julga salvo antes de tempo. Concede-me a graça da vigilância para que aguarde o dia da tua chegada a fim de poder entrar contigo no reino e sentar-me à tua mesa com os pobres a quem amas. 
 
Compromisso
Quero fazer da minha vida um tempo de espera vigilante da última vinda do Senhor.