Primogénito de toda a criação

S. Paulo diz que Cristo "é a imagem do Deus invisível, o primogénito de toda a criatura; porque foi nele que todas as coisas foram criadas, nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, os Tronos e as Dominações, os poderes e as autoridades, todas as coisas foram criadas por Ele e para Ele. Ele é anterior a todas as coisas… Ele é o princípio… porque nele aprouve a Deus fazer habitar toda a plenitude" (Cl 1,15-19).

 

Deus tem um projeto que passa pelo homem e o ponto alto, a plenitude desse projeto, não é o homem enquanto entendemos por homem, o que nós somos. O ponto alto, a plenitude é Cristo. Ele é o homem segundo a estatutra, a medida, do homem pensado por Deus. Deus pensou, criou e recria continuamente o homem para que ele chegue a ser o homem à imagem de Cristo. Toda a humanidade antes e depois de Cristo encontra nele o seu máximo expoente. Cristo é o homem novo, o novo Adão, que vem para recriar na sua humanidade toda a humanidade elevando-a à sua estatura. Ora a estatura de Cristo é a de Filho de Deus. Neste sentido, Cristo, na sua humanidade, eleva-nos à condição de Filhos. As bases estruturais da nossa realidade humana são transformadas em realidade divina. Poderíamos dizer que em Cristo somos tão filhos como o Filho. Dizemos que somos filhos adotivos para distinguir a nossa filiação da de Cristo, mas esta palavra "adoção" é curta demais para dizer o que somos realmente, por termos sido elevados à estatuira de Cristo, o Filho de Deus, o homem segundo o projeto de Deus.

 

 

Adptado de: Rey-Mermet, A fé explicada aos jovens e adultos.